Defesa de Antônia Fontenelle se pronuncia sobre matérias 'parciais' no caso 'irmãos Neto'

Reprodução/Internet
Reprodução/Internet

Defesa da apresentadora se pronunciou via comunicado, desmentindo qualquer derrota na justiça 

O FeFala está mais que à par do caso Fontenelle x Irmãos Neto na justiça, porém tem evitado usar isso para promoção, ganhar seguidores, sensacionalizar, dar fake news e/ou qualquer coisa do tipo como lemos por aí, mas fazemos questão sim em dar o correto, o que de fato está em juízo, para que não prejudiquemos ninguém.

A defesa da apresentadora Antônia Fontenelle se pronunciou através de um comunicado, esclarecendo fake news sobre o andamento do processo e nós deixamos aqui na íntegra:


"Foi veiculado em alguns sites que Antonia Fontenelle sofreu "nova baixa" na Justiça. Em verdade, não há qualquer baixa ou derrota de Antonia no Judiciário, como querem fazer crer algumas pessoas da mídia. Não houve qualquer alteração no processo.

Em que pese os profissionais que a representam prezarem pela discrição na condução do caso -algo inerente à representação processual - diante das reiteradas veiculações na mídia sobre o tema, não poderiam tomar outra medida senão tecer breves esclarecimentos a respeito do andamento do caso.

Em 28/07 foi publicada decisão referente aos embargos de declaração apresentado. A Relatora do processo, Dra Fernanda Fernandes, ao analisar os embargos afirmou na decisão ventilada pela mídia que o valor de eventual multa fixada pelo juízo de primeira instância SÓ SERÁ VERIFICADO QUANDO DO JULGAMENTO DO RECURSO DE AGRAVO DE INSTRUMENTO, o que ainda NÃO OCORREU.

Portanto, não há qualquer decisão determinando o pagamento de multa, fixando multa ou tratando sobre o mérito do processo. Novamente, NÃO HÁ QUALQUER BAIXA OU NOVA DERROTA NO PROCESSO NESSE SENTIDO.

O que se observa é que a mídia coloca as decisões do processo totalmente fora de contexto e ainda distorce a verdade dos fatos apenas para tentar denegrir, atingir, a imagem da Sra. Antonia Fontenelle, ato completamente repugnante.

Ainda, é lamentável estarmos diante de uma mídia com partido, quando deveria ser imparcial, tendo em vista o papel do jornalista na sociedade democrática.

Há que se ressaltar que o processo em primeira instância tem o seu trâmite normal e ainda está na fase de conhecimento. O mérito está longe de ser apreciado também.

Esperamos que as partes possam ter liberdade para tratar dos temas com seus respectivos advogados, traçando a melhor estratégia, sem que haja exposições precipitadas na mídia a respeito do tema", finaliza.