'Elas vão ter que pagar', diz suspeito de agredir youtuber

21/12/2019

O supervisor de manutenção Alexandre da Silva, afirmou que quer processar a youtuber Karol Eller, que o acusou de tê-la espancado após ataques homofóbicos, em um quiosque na Barra da Tijuca, no RJ.

Ao Globo, o supervisor diz ter recebido ameaças de morte e de linchamento, além de ter perdido o emprego por conta das acusações.

Em princípio, a delegada Adriana Belém afirmou que se tratava de "um caso típico de homofobia", porém dois dias depois após ouvir funcionários do quiosque e ver as imagens das câmeras de segurança do local, a delegada mudou de opinião sobre a motivação homofóbica do ataque.

Karol Eller. Reprodução/Internet
Karol Eller. Reprodução/Internet