EXCLUSIVO: Escola do ex jogador Rivellino fecha atividades após 25 anos

08/07/2020
Rivellino. Reprodução/Internet
Rivellino. Reprodução/Internet

A escola de futebol do ex jogador Rivellino fechou suas atividades. Em comunicado enviado aos pais dos alunos, todos sentiram muito pelo ocorrido, ainda não revelado o motivo;

Pais e alunos,

Temos muita satisfação e um orgulho imenso de ter orientado e feito parte da vida de vocês preparando as crianças para um futuro estruturado e saudável através da prática esportiva, oferecendo nosso ensinamento e participando em equipe de momentos de alegria.

Agradecemos a todos que compartilharam inúmeros momentos felizes nesses anos da RIVELLINO SPORT CENTER LTDA e nos ajudaram a escrever essa história de sucesso.

Por tudo isso, é com muito pesar que anunciamos o encerramento das nossas atividades.

Obrigada por todo carinho, confiança e pelo prestígio que nos deram durante esse longo período.

Chegou a hora de explorarmos novos horizontes e em breve continuar com essa parceria em uma nova etapa.

Nossos sinceros agradecimentos.


História do craque

Aos dezenove anos Roberto fez sua estréia com a camisa titular do Timão e no mesmo ano já foi convocado para a Seleção Brasileira, participando de um amistoso contra o Arsenal e de outro contra a Hungria. Em 1966, conquistou seu único título com a camisa alvi-negra: a Copa Rio-São Paulo, título que foi dividido com Botafogo, Vasco e Santos.
Números astronômicos: 474 jogos, 238 vitórias e 114 gols, isso só com a camisa do Corinthians. Para um meia, só mesmo uma patada atômica atingiria esse número alto de gols.
Só voltou a ser convocado para a Seleção Brasileira em 1968, quando marcou seus dois primeiros gols com a camisa canarinho, no amistoso contra a Polônia. Com Zagallo no comando da Seleção, foi titular do Brasil na Copa de 1970, conquistando o tricampeonato mundial. Rivellino foi o terceiro maior goleador do time: marcou 3 gols em 5 partidas.

Seleção Brasileira

Ainda em 1970, Riva foi eleito, com méritos, para a Seleção da Copa. Os mexicanos se apaixonaram pelo seu futebol e ele recebeu o apelido de "Patada Atômica", em função de seus chutes espetacularmente fortes. Foi titular da Seleção também na Copa de 1974, quando disputou todos os sete jogos e marcou 3 gols novamente. final do ano, o Corinthians perdeu o título do Campeonato Paulista para o Palmeiras e Rivellino foi injustamente culpado pela derrota. Magoado, Riva (como era chamado pelos companheiros e amigos) foi para o Fluminense. 


A escola de futebol de Rivellino ficou em atuação no bairro do Brooklin em São Paulo, por mais de 25 anos.

Uma pena!!!