Fernanda Alves expõe como é ser ‘Fonte’ de grandes veículos

Fernanda Alves. Divulgação.
Fernanda Alves. Divulgação.

"Alguns casos eles nem apuram, apenas copiam e colam o texto que envio"

Hoje vou falar um pouquinho como funcionam as notícias e fofocas que circulam por aí. A famosa "Fonte".

Ser 'Fonte' de um veículo, é você enviar a nota, com às devidas provas e o jornalista publicar, ou não. Como já disse pra vocês, fui 'Fonte' de sites de fofocas, sites políticos, programas de TV...

Hoje vou mostrar uma conversa minha com o jornalista da Revista Veja, João Batista Junior, que recebeu a notícia enviada por mim referente ao trágico acidente aéreo na Bahia, dei a EXCLUSIVA pra ele, que nem precisou apurar nada (esse trabalho eu fiz sozinha e de graça mesmo), e como podem ver, copiou e colou em seu site a nota que enviei.

O que ele ganha? Nome, repercussão, dinheiro, prestígio por dar uma notícia que ninguém sabia, mesmo envolvendo a morte de alguém.

E eu, o que ganhei? Nada! Mas alguns jornalistas às vezes são bem receptivos e gratos, uma espécie de 'troca', "hoje você me ajudou, um dia certamente você precisará de mim, retribuo sua gentileza", mas não é o caso desse jornalista da Veja em específico.

Sigamos, porque agora eu quem dou as notas no FeFala, e isso está começando a tumultuar o 'mercado'. rs

Veja conversa e link da Veja: