• Fernanda Alves

Caso homofobia: Mauricio Souza diz que demissão foi culpa da “turma da lacração”

Jogador de vôlei foi desligado do Minas Tênis Clube após polêmica



Maurício Souza. Foto: Reprodução Internet

Após ser demitido do Minas Tênis Clube por se envolver em uma polêmica e ser acusado de homofobia por internautas, Mauricio Souza usou as redes sociais nesta quinta-feira (28) para explicar o contexto real do desligamento.


O jogador de vôlei, que também já atuou na seleção brasileira, compartilhou um vídeo em que afirma que a direção do clube não queria encerrar o contrato, mas precisou após a pressão da “turma da lacração”.


“A culpa disso tudo é da turma da lacração, que fez pressão nos patrocinadores e acarretou de o particionador ameaçar tirar o patrocínio tanto do time masculino, quanto do feminino e isso ficou insustentável.”, disse ele.

O atleta falou ainda que um dos diretores do clube, Elói, e o presidente, Ricardo, fizeram de tudo para mantê-lo no time e que, infelizmente, a equipe não aguentaria perder tantos patrocínios.


“Eles são homens de verdade. A culpa é da galera que não aceita mais opinião contrária à deles, qualquer coisa falada que não seja o que eles aprovam você é homofóbico e preconceituoso. A tolerância do outro lado é zero!”, afirmou.



Entenda o caso:

No último dia 12, Maurício Souza criticou a história em quadrinhos do novo Super-Homem, na qual há um beijo entre o personagem e outro homem.


"Ah é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar...", escreveu o jogador. Ele ainda criticou a decisão da TV Globo de usar pronome neutro nas novelas, em respeito a pessoas que preferem não se identificar a um gênero específico.